Equipamentos obrigatórios de Proteção respiratória

Proteção respiratória

Quando das medidas de controle para redução da exposição dos agentes químicos não forem suficientes para proteger os trabalhadores dos riscos, os respiradores são itens importantíssimos e obrigatórios.

Estes equipamentos protegem os profissionais contra os contaminantes existentes nos agentes químicos como fumos, névoas, poeira vapores e gases, bem como agentes biológicos em forma de aerossóis.

O equipamento deve ser bem escolhido, observando se o produto segue as indicações do Programa de Proteção Respiratória da Fundacentro, e também quanto ao tamanho, verificando assim qual a medida correta para o trabalhador. Veja abaixo os tipos de equipamentos de proteção respiratória e suas recomendações.

Linha de ar comprimido de demanda com pressão positiva e peça semifacial ou facial inteira.

Neste equipamento o usuário é ligado à fonte de ar comprimido através de uma mangueira de suprimento. Durante a inalação de ar, a pressão no interior do equipamento permanece acima da pressão do ambiente, o risco de invasão do agente contaminante é reduzido.

Estes equipamentos são utilizados em ambientes com pouco oxigênio, bem como lugares onde exista grande concentração de contaminantes. O uso é limitado pelo limite de exposição x fator de proteção atribuído do respirador.

Linha de ar comprimido de demanda com pressão positiva e cilindro auxiliar de escape.

Na parte interior da cobertura facial a pressão exercida é maio do que a pressão do ambiente. A diferença deste equipamento é quanto ao cilindro auxiliar de escape.

São recomendados para atmosferas que são consideradas IPVS, com existência de contaminantes ou deficiência de oxigênio. Os cilindros de autonomia de três, cinco e dez minutos podem ter utilização exclusiva para escape.

Linha de ar comprimido de fluxo contínuo com peça semifacial ou facial inteira.

Este equipamento possui um regulador para controlar a vazão de ar, que chega de forma contínua à cobertura das vias respiratórias.

Seu uso é destinado para ambientes com pouco oxigênio não IPVS, e também em atmosferas com concentração do contaminante abaixo da concentração IPVS, sendo que o valor calculado seja menor do que o limite de exposição do contaminante e o fator de proteção atribuído do respirador (Instrução Normativa nº1, de 11/04/94, e no PPR da Fundacentro).

Máscara Autônoma

Nas máscaras de circuito fechado, o suprimento de ar ou oxigênio é levado pelo usuário. A demanda com ou sem pressão positiva é definida de acordo com o modo como o ar chega à cobertura das vias respiratórias. Hoje já está disponível inclusive um modelo com possibilidade de uso por um carona.

São usados em atmosferas consideradas IPVS devido à deficiência de oxigênio ou a presença de agentes contaminantes. Este equipamento possui mobilidade, porém o peso e volume podem dificultar a entrada em ambientes estreitos. É possível encontra-los em modelo destinado a combate a incêndio.

Existem ainda outros respiradores e purificadores de ar, são eles: Respirador com peça semifacial e filtros substituíveis e a peça semifacial filtrante.

Fonte: Super Guia de Proteção.